HYDROLOGY OF THE RIO DOCE HYDROGRAPHIC BASIN IN THE STATE OF ESPÍRITO SANTO, BRAZIL / HIDROLOGIA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DOCE NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, BRASIL

Autores

  • FRANCISCO GLEIDSON DA COSTA GASTÃO Doutor em Ciências Marinhas Tropicais da Universidade Federal do Ceará/UFC
  • SÉRGIO BEZERRA LIMA JÚNIOR Doutor em Geologia, Professor do Instituto de Ciências do Mar, Labomar, Universidade Federal do Ceará/UFC
  • CLÁUDIO ANTÔNIO LEAL Mestre em Ciências Marinhas Tropicais da Universidade Federal do Ceará/UFC. Petróleo Brasileiro S.A (Petrobras), Unidade Operacional do Espírito Santo (UO-ES) / SMS/MA
  • LUIS PARENTE MAIA Doutor em Ciencias del Mar, Universitat de Barcelona, UB, Espanha

DOI:

https://doi.org/10.48025/ISSN2675-6900.v3n2.2022.159

Palavras-chave:

Bacia Hidrográfica do Rio Doce, Vazões de Referência, Hidrologia , Controle Morfoestrutural

Resumo

O presente estudo da hidrologia da bacia hidrográfica do Rio Doce no estado do Espírito Santo contou com o tratamento estatístico da série histórica (1968 a 2021) de dados da HIDROWEB v3.2.6 da Agência Nacional de Águas, além de dados de radar da SRTM. As vazões acompanham a variação dos dados de precipitação média mensal. A vazão média de longa duração (Qmld) apresentou significativa correlação entre as microbacias do Rio Doce. Já as vazões médias mensais de referência (Q90) e (Q7,10), adquiridas da curva de permanência, mostraram baixa correlação com a variação da precipitação durante um ano. Deste modo, conclui-se que a hidrologia da bacia é principalmente regida pelo controle morfoestrutural, que por sua vez exerce forte influência nos fatores geomorfológicos e fluviais, sobretudo em períodos de estiagem na bacia hidrográfica.

Referências

ALBINO, J.; GIRARDI, G.; NASCIMENTO, K. A. Erosão e Progradação do litoral do Espirito Santo. In: Dieter Muehe. (Org.). Erosão e Progradação do Litoral do Brasil. 1ed. Brasilia: Ministério do Meio Ambiente - MMA, 2006, v. v. 1, p. 227-264.

Agência Nacional de Ãgua – ANA. HIDROWEB v3.2.6. Disponível em <http://www.snirh.gov.br/hidroweb/serieshistoricas>. Acesso: 15 de maio de 2022.

ANDRADE, N. L. R.; XAVIER, F. V.; ALVES, E. C. R. F.; SILVEIRA, A.; OLIVEIRA, C. U. R. Caracterização morfométrica e pluviométrica da Bacia do Rio Manso, MT. Revista Geociências, v.27, p.237-248, 2008.

ANTONGIOVANNI, L. L.; COELHO, A. L. N. Panorama sobre a Desertificação no Estado do Espírito Santo. 2005. Disponível em <https://www.mma.gov.br/estruturas/sedr_desertif/_arquivos/panorama_espiritosanto.pdf>. Acesso em 07 de maio de 2022.

ARAÚJO, E. P.; TELES, M. G. L.; LAGO, W. J. S. Delimitação das bacias hidrográficas da Ilha do Maranhão a partir de dados SRTM. In: XIV Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto. Anais... Natal, Brasil, 2009, INPE, p. 4631.

ARRAES, C. L.; PISSARRA, T. C. T.; RODRIGUES, F. M.; ZANATA, M.; CAMPOS, S. Morfometria dos compartimentos hidrológicos do município de Jaboticabal, SP. Revista Unopar Científica, Ciências Exatas e Tecnológicas, v.9, p.27-32, 2010..

BORDALO, C. A. L. A crise mundial da água vista numa perspectiva da geografia política. GEOUSP, Edição Especial Recursos Hídricos, São Paulo, n.º 31, p. 66 -78, 2012. <https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2012.74270>.

CARDOSO, C. A.; DIAS, H. C. T.; SOARES, C. P. B.; MARTINS, S. V. Caracterização morfométrica da Bacia Hidrográfica do Rio Debossan, Nova Friburgo, RJ. Revista Ãrvore, v.30, n.2, p.241-248, 2006. <https://doi.org/10.1590/S0100-67622006000200011>.

CHRISTOFOLETTI, A. Análise morfométrica de bacias hidrográficas. Notícia Geomorfológica, n. 18, p. 35-64, 1969.

CHRISTOFOLETTI, A. Geomorfologia. São Paulo: Edgard Blucher, 1980. 188p.

Conselho Nacional de Recursos Hídrico – CNRH. Resolução nº 32, 15 de outubro de 2003. Diário Oficial da União - DOU. 17 dezembro 2003. Disponível em: <https://www.ceivap.org.br/ligislacao/Resolucoes-CNRH/Resolucao-CNRH%2032.pdf>. Acesso em 21 de maio de 2022.

COELHO, A. L. N. Situação Hídrico-Geomorfológica da bacia do Rio Doce com base nos dados da série histórica de vazões da Estação De Colatina – ES. Caminhos de Geografia., 6 (19). pp. 56-79, 2006.

COELHO, A. L. N.; JUNIOR, J. T., BERGAMASCHI, R. B.; GOULART, A.C. DE O. Refinamento das Unidades Geomorfológicas do Estado do Espírito Santo com Emprego de Novas Tecnologias. In Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 13, Foz do Iguaçu, Paraná. 2013.

CPRM. Geologia e Recursos Minerais do Estado do Espírito Santo: texto explicativo do mapa geológico e de recursos minerais. / Valter Salino Vieira, Ricardo Gallart de Menezes, Orgs. - Belo Horizonte. 2015. 294p. <http://rigeo.cprm.gov.br/jspui/handle/doc/15564.1>.

CRUZ, J. C.; TUCCI, C. E. M. Estimativa da disponibilidade hídrica através da curva de permanência. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v.13, p.111-124, 2008. <http://dx.doi.org/10.21168/rbrh.v13n1.p111-124>.

CUNHA, S. B. Geomorfologia Fluvial. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. (orgs.) Geomorfologia uma Base de Atualização e Conceitos. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001, p. 211-252.

FRANÇA, G. & DEMATTÊ, J. A. M. Parâmetros da drenagem determinados em fotografias aéreas e sua aplicação na discriminação de solos. Scientia Agricola. Piracicaba, v. 47, n. 2, p. 541-555, 1990. <https://doi.org/10.1590/S0071-12761990000200015>.

FONSECA, B. M.; AUGUSTIN, C. H. R. R. Análise morfométrica de bacias de drenagem e sua relação com a estrutura geológica, Serra do Espinhaço Meridional-MG. Revista Brasileira de Geomorfologia, vol. 15, n°2, p. 153-172, 2014. <https://doi.org/10.20502/rbg.v15i2.296>.

GIRARDI, R. V.; CASTRO, N.; GOLDENFUN, J. A.; SILVEIRA, A. L. L. Avaliação do Efeito de Escala em Características de Chuva e Vazão em Sub-Bacias Embutidas da Bacia do Potiribu – RS. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, Volume 16 n.2, pp. 49-64. 2011. <http://dx.doi.org/10.21168/rbrh.v16n2.p49-64>.

Global Land Cover Facility – GLCF. Imagens de Radar SRTM. Disponível em: <http://glcfapp.glcf.umd.edu:8080/esdi/index.jsp>. Acesso em 13 de novembro de 2021.

GEORGIN, J. OLIVEIRA, G., A., ROSA, O., A., L.D. Estudo comparativo de índices morfométricos relacionado com cheias nas bacias hidrográficas do alto Jacuí e Vacacaí -Vacacaí Mirim –RS. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, Santa Maria, v. 19, n. 2, mai-ago. p.1357-1364, 2015. <https://doi.org/10.5902/2236117016834>.

Grupo de Pesquisa em Recursos Hídricos – GPRH. Software estatístico SisCAH 1.0. Disponível em <http://www.gprh.ufv.br/?area=softwares>. Acesso: 17 de novembro de 2021.

HORTON, R. Erosional development of streams and their drainage basins: hydrophysical approach to quantitative morphology. Geological Society of American Bulletin, v. 56, p. 275-370, 1945. < https://doi.org/10.1130/0016-7606(1945)56[275:EDOSAT]2.0.CO;2.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Cidades e Estados. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/es.html>. Acesso: 11 de maio de 2022a.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Bases e referenciais. Disponível em: <https://mapas.ibge.gov.br/bases-e-referenciais.html> . Acesso: 05 de fevereiro de 2022b.

Instituto Estadual de Meio Ambiente – IEMA. Instrução Normativa IN nº 013/2009. Disponível em: <http://servicos.iema.es.gov.br/legislacao/FileHandler.ashx?id=237&type=2> Acesso em 05 de abril de 2022.

Instituto Jones dos Santos – IJS. Mapas. Disponível em: <http://www.ijsn.es.gov.br/mapas/> Acesso em 10 de fevereiro de 2022.

KOHLER, H. C. A escala na análise geomorfológica (reedição). Revista Brasileira de Geomorfologia, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 21-31, 2002. <https://doi.org/10.20502/rbg.v2i1.5>

LANA, C. E.; ALVES, J. M. de P.; CASTRO, P. T. A. Análise morfométrica da bacia do Rio do Tanque, MG - BRASIL. REM: Revista Escola de Minas, Ouro Preto, v. 54, n. 2, p. 121-126, 2001. < https://doi.org/10.1590/S0370-44672001000200008>

LIMA, R. N. S.; MARÇAL, M. S. Avaliação da Condição Geomorfológica da bacia do rio Macaé RJ a partir da Metodologia de Classificação dos Estilos Fluviais. Revista Brasileira de Geomorfologia, 14, pp. 171-179, 2013. < https://doi.org/10.20502/rbg.v14i2.317>

MARTINS, E. S. F.; SOUZA FILHO, P. W. M. E.; COSTA. F. R. C.; ALVES, P. J. O. Extração automatizada e caracterização da rede de drenagem e das bacias hidrográficas do nordeste do Pará ao noroeste do Maranhão a partir de imagens SRTM. In: XIII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 2007, Florianópolis. Anais on-line do XIII SBSR, p. 6827-6834.

MELLER, A., ALLASIA. D., COLLISCHONN, W.; TUCCI, C. E. M. Sensibilidade do regime hidrológico de bacias hidrográficas à variabilidade da precipitação. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, 5, pp. 13-34, 2005.

MENDES, I. A.; DANTAS, M.; BEZERRA, L. M. M. Geomorfologia. - In: Levantamento de Recursos Naturais, Folha SE 24. v. 34, ed.: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Rio de Janeiro, 1987.

MONTEIRO, K. A. M. BARROS, A. C. M. MELO, R. F. T. RAMOS, D. A. M. C. NÓBREGA, R. S. GIRÃO, O. Parâmetros morfométricos aplicados à bacia do rio Una (Pernambuco –Brasil) para identificar susceptibilidade a enchentes. Revista Geográfica de América Central, nº 52. p.163-177, 2014.

MOREIRA, A. A. C.; COSTA, C.T. F.; TAVARES, P. R. L; MENDONÇA, L. A. R. Caracterização morfométrica e hidrológica da bacia hidrográfica do rio Salamanca, Barbalha, CE. In: XIX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 19. 2011, Maceió. Anais... ABRH - Associação Brasileira de Recursos Humanos. 1-15p.

MURPHEY, J. B., WALLACE, D. E., LANE, L. J. Geomorphic parameters predict hydrograph characteristics in the southwest. Water Resources Bulletin. v. 13, p. 25-38, 1977. <https://doi.org/10.1111/j.1752-1688.1977.tb01987.x>

NAGHETTINI, M.; PINTO, E. J. A. Hidrologia estatística. Belo Horizonte: CPRM. 2007. 552p.

OLIVEIRA, P. T. S.; SOBRINHO, T. A.; STEFFEN, J, L.; RODRIGUES, D. B. B. Caracterização morfométrica de bacias hidrográficas através de dados SRTM. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.14, n.8, p.819-825, 2010. < https://doi.org/10.1590/S1415-43662010000800005>

PATTON, P. C., BAKER, V. R. Morphometry and floods in small drainage basins subject to diverse hydrogeomorphic controls. Water Resources Research. v. 12, p. 941-952, 1976. < https://doi.org/10.1029/WR012i005p00941>

REBOITA, M.S.; GAN, M.A.; ROCHA, R.P. & AMBRIZZI, T. Regimes de precipitação na América do Sul: uma revisão bibliográfica. Revista Brasileira de Meteorologia.,25:185-204, 2010. < https://doi.org/10.1590/S0102-77862010000200004>

SCHVARTZMAN, A. S.; MEDEIROS, M. J.; NASCIMENTO, N. O. Avaliação preliminar do critério de outorga adotado do estado de Minas Gerais. In: Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos, 13, 1999, Belo Horizonte. Anais..., 1999. Belo Horizonte. Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH).

SHERMAN, G. E.; SUTTON, BLAZEK, R.; HOLL, S.; DASSAU, O.; MITCHELL, T.; MORELY, B. AND LUTHMAN, L. Quantum GIS ver. 2.4 ‘Chugiak’. 2007.

SILVA, J. M. R.; LIMA, M. I. C.; VERONESE, V. F.; RIBEIRO, R. N. J.; ROCHA, R. M.; SIGA, O. J. Geologia. In: Levantamento de Recursos Naturais, Folha SE 24. v. 34, ed.: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítisca, Rio de Janeiro, 1987.

SOUZA, C. R. G. Suscetibilidade morfométrica de bacias de drenagem ao desenvolvimento de inundações em áreas costeiras. Revista Brasileira de Geomorfologia, ano 6, n. 1, p. 45-61, 2005. < https://doi.org/10.20502/rbg.v6i1.38>

TUCCI, C. E. M. Regionalização de vazões, Ed. Universidade/UFRGS, 1° edição, Porto Alegre-RS. 2002, p.256.

TUNDISI, J. G. Recursos hídricos no futuro: problemas e soluções. Estudos Avançados, São Paulo, v. 22, n. 6, p. 7-16, 2008. < https://doi.org/10.1590/S0103-40142008000200002>

VIECELI, N.; BORTOLIN, T. A.; MENDES, L. A.; BACARIM, G.; CEMIN, G.; SCHNEIDER, V. E. Morphometric evaluation of watersheds in Caxias do Sul city, Brazil, using SRTM(DEM) data and GIS. Environmental Earth Sciences., 73 (9), pp. 5677-5685, 2015. < https://doi.org/10.1007/s12665-014-3823-3>

VOGUEL, R. M.; FENNESSEY, N. M. Flow duration curves. II: A review of applications in water resources planning. Water Resources Bulletin. Vol. 31, n° 6, p. 1029-1039. Dec., 1995. < https://doi.org/10.1111/j.1752-1688.1995.tb03419.x>

Downloads

Publicado

2022-12-26

Como Citar

GLEIDSON DA COSTA GASTÃO, F., BEZERRA LIMA JÚNIOR, S., ANTÔNIO LEAL, C., & PARENTE MAIA, L. (2022). HYDROLOGY OF THE RIO DOCE HYDROGRAPHIC BASIN IN THE STATE OF ESPÍRITO SANTO, BRAZIL / HIDROLOGIA DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO DOCE NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO, BRASIL . William Morris Davis - Revista De Geomorfologia, 3(2), 1–19. https://doi.org/10.48025/ISSN2675-6900.v3n2.2022.159