PEDIPLANES, PEDIMENTS AND CORRELATIVE DEPOSITS IN BRASIL/ PEDIPLANOS, PEDIMENTOS E SEUS DEPÓSITOS CORRELATIVOS NO BRASIL

Autores

  • JOÃO JOSÉ BIGARELLA Professor do Departamento de Geologia, Setor de Ciências da Terra (in memoriam) Universidade Federal do Paraná
  • MARIA REGINA MOUSINHO Professora do Departamento de Geografia, Instituto de Geociências (in memoriam). Universidade Federal do Rio de Janeiro.
  • JORGE XAVIER DA SILVA Professor Emérito do Departamento de Geografia (in memoriam). Universidade Federal do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Pediplanos, Pedimentos, Depósitos correlativos, Evolução da paisagem

Resumo

A história Cenozoica de grande parte do território brasileiro está conectada com processos erosivos intensos e com deposição correlativa
em áreas restritas. A existência de três Pediplanos (Pd3, Pd2 e Pd1) em diferentes altitudes e de dois níveis de Pedimentos (P2 e P1) inseridos
nos vales e nas bacias é visível em toda a área pesquisada desde o nordeste do Brasil ao rio da Prata. A extensa inserção do Pediplano P1
em grandes bacias abaixo da superfície erosiva (geralmente a Pd3 ou Pd2), tem sido considerada como desenvolvida no Pleistoceno inferior.
Os Pediplanos foram formados por processos de pediplanação durante condições climáticas semiáridas. A dissecação dos Pediplanos
foram o resultado de condições climáticas úmidas alternando com condições semiáridas. O soerguimento não era o único fator responsável
pelo desenvolvimento das várias superfícies de erosão. No entanto, o movimento da crosta terrestre contribuiu para uma maior diferença
de nível entre eles. Como depósitos correlativos dos Pediplanos são reconhecidos para o Pd2, a Formação Guararapes, e para o Pd1 as
Formações Guabirotuba, Alexandra, Graxaim III, Riacho Morno e Pariquera-Açu. Todas estas formações documentam épocas de
morfogênese mecânica e condições de deposição em um ambiente semiárido. A idade do Pediplano Pd1 é considerada como do Nebraska.
Os Pedimentos P2 e P1 estão inseridos nas bacias e são correlacionados com as glaciações Kansan e Ilinois, respectivamente. Eles foram
formados pelo recuo paralelo das encostas através de processos de morfogênese mecânica e remoção e deposição de material detrítico em
condições climáticas semiáridas. A dissecação dos pedimentos está relacionada a condições climáticas de umidade que estão
correlacionadas com os interglaciais. Durante a glaciação Winsconsin foram desenvolvidos os níveis baixos de terraço com cascalhos.
Como depósitos correlativos dos pedimentos são referidas as seguintes Formações: Iquererim I e II, Graxaim I e II, Pariquera-Açu I e II,
bem como as camadas Canhanduva, Cachoeira e Trindade.

Downloads

Publicado

2022-07-26

Como Citar

JOSÉ BIGARELLA , J., REGINA MOUSINHO, M., & XAVIER DA SILVA, J. (2022). PEDIPLANES, PEDIMENTS AND CORRELATIVE DEPOSITS IN BRASIL/ PEDIPLANOS, PEDIMENTOS E SEUS DEPÓSITOS CORRELATIVOS NO BRASIL. William Morris Davis - Revista De Geomorfologia, 3(1), 1–24. Recuperado de //williammorrisdavis.uvanet.br/index.php/revistageomorfologia/article/view/151